Baú dos Pixels: 01 – Os primeiros jogos eletrônicos


É com enorme felicidade que passo aqui, no Gamer Dungeon para agradecer a todos os visitantes que curtiram nossa página do Facebook, para que ela chegasse aos mais de 1700 Likes que tivemos desde o lançamento do site ainda em 14 de maio desse ano. Agora passados pouco mais de 7 meses o Gamer Dungeon chega ao nosso primeiro grande Achievement, a nossa postagem de número #100, e claro que uma postagem como essa não poderia passar em branco, então reservei esse post especial para começar a nossa nova série “Baú dos Pixels” que vai trazer em capítulos a história dos games, contando tudo desde a sua criação, grandes hits, fracassos, lendas urbanas sobre os games, grandes franquias que surgiram e várias curiosidades que povoam toda história dos games.

Assim o Baú dos Pixels se junta ao Press Start como série de autoria do Gamer Dungeon e inicia uma longa viagem por todos os pixels que criaram a História dos games.

O Primeiro Jogo Eletrônico

Começamos nossa viagem na longínqua década de 50, mais precisamente em 1952 quando Alexander S. Douglas criou o game OXO, Noughts and Crosses, um jogo que todos nós já jogamos no papel, o famoso “Jogo da Velha”.

Douglas desenvolveu o jogo como parte de sua tese de doutorado em “Integração Homem-Computador”. O OXO tinha como controles um telefone analógico, onde cada número discado representava o quadro onde seria feito o movimento.

Acompanhe no vídeo abaixo a simulação de OXO:

O Primeiro jogo eletrônico com animação

Pouco tempo depois do doutorado de Douglas no fim da década de 50 no ano de 1958 o físico Willy Higinbotham desenvolveu o primeiro jogo eletrônico com animações.

Intitulado de Tennis Programing (conhecido também pelo nome de Tennis for Two) era um jogo bem simples e era jogado por meio de um osciloscópio.

A novidade chamou atenção da população que formou enormes filas para ver esse jogo. Na tela do osciloscópio as pessoas podiam ver uma bolinha verde indo de um lado a outro da tela e passando por sobre a rede, a visão da partida seria semelhante a de um arbitro de rede, para se jogar era necessário apertar um botão e girar um segundo botão para definir o ângulo da rebatida, o sucesso do jogo foi tamanho que na festa de um ano de lançamento do jogo o laboratório desenvolveu uma versão melhorada e novamente filas enormes foram criadas em frente ao laboratório.

Apesar de todo sucesso Willy não patenteou a ideia por achar muito simples e mais tarde foi lançado pong que seguia a mesma linha do Tennis for Two, em 1995 Willy morreu sem ter recebido um único centavo pela sua invenção.


Sobre Fiori Zonta

Professor de ensino Técnico no Centro Paula Souza, fã da Sega, Pokémon e de jogos de estratégia, RPG e plataforma. Vive passando por vários MMORPGs, buscando a mesma sensação que teve ao jogar RF online, enquanto não encontra um assim sempre acaba voltando para Ragnarok e WoW. Acompanha vários animes principalmente os esportivos e de aventuras medievais, nas telonas nunca deixa de assistir filmes épicos e de super heróis. Ultimamente tem jogado Heroes of The Storm e World of Warcraft.